Farinhas

O uso da farinha na culinária é extenso. Quero dizer que é possível substituir a farinha de trigo refinado nas receitas.

As recomendações de nosso #Desafio30DiasDrBarakat são:

Inclua
Farinhas de:

Coco

Quinoa

Amêndoa

Linhaça

Chia

Maracujá

Castanhas

Arroz

Exclua

Farinha de trigo refinada

Agora, por que evitar a farinha de trigo refinada?

Você já viu como é feita a farinha “de trigo” – aquela farinha branca que costuma ser utilizada para fazer pães, bolos, tortas, cereais, biscoitos, massa de pizza e cerais, entre outros alimentos!? Apesar fazer a referência ao “de Trigo” no nome, a verdade é que o que ela menos tem é este cereal na sua concepção.

O que torna a farinha de trigo maléfica à saúde – tanto quanto o açúcar ou o sal refinado – é exatamente o processo industrial de refinamento, que separa do trigo a casca e o gérmen, mantendo apenas o endosperma do grão que depois é moído. Nesse processo retira-se grande parte das propriedades nutricionais do alimento. Para quem não sabe, as farinhas são produzidas através do esmagamento dos grãos de cereais, transformando-os em pó fino. Este pó forma a base não apenas de pães e bolos, mas de uma enorme variedade de alimentos processados, entre eles os cereais, biscoitos, a massa de pizza e até mesmo os cones dos gelados. Além disto, há o problema da falta de fibras, porque o processo de refino da farinha de trigo em farinha branca reduz 80% da quantidade de fibras, o que a torna muito mais pobre nesse quesito.

Em lugar da farinha de trigo, é possível usar a de amêndoas, quinoa, linhaça, chia, maracujá, coco, castanhas e arroz. Além de seu valor nutricional, auxiliam na saúde do organismo. Logo mais vou postar um conteúdo em complemento a este post com as propriedades destas farinhas.

Atenção: embora sejam uma alternativa mais qualificada que a farinha de trigo, é preciso ficar claro que nem por isso devem ser a primeira escolha da família dos carboidratos e devem ser consumidos moderadamente.

Outro grande segredo é sempre recorrer aos produtos que tenham como base de origem a natureza, que não tenham sofrido um processo que possa ter corrompido a sua essência.

Referência sobre Tipos de Farinha no Blog do Dr. Barakat